Como Tratar uma Infecção Fúngica no Ouvido.

say-goodbye-ear-infection-heres-cure-ear-infection-just-1-day

Conhecida como otomicose, “ouvido de nadador” ou “dor de nadador”, as infecções fúngicas no ouvido afetam primariamente o canal do órgão. A otomicose é responsável por cerca de 7% dos diagnósticos de otite externa ou inflamação e infecção do canal do ouvido, sendo geralmente causadas pelas espécies fúngicas candida albicans e aspergillus. Tais infecções são confundidas com infecções bacterianas no mesmo local; erroneamente, muitos médicos realizam o tratamento com antibióticos, que não têm efeito contra fungos.

1 – Identifique a coceira anormal no ouvido (também conhecida como prurido). Sentir coceira no ouvido é normal, já que os pelos no local – e na orelha também – são facilmente irritados. Caso o canal esteja constantemente com prurido e esfregar ou coçar não aliviar, pode haver uma contaminação por fungos. Esse é o principal sinal de manifestação desses microrganismos no ouvido.

2 – Reconheça os indícios de dor no ouvido (otalgia). Quase sempre, a dor será localizada em apenas um dos ouvidos e não em ambos, pois a infecção fúngica é local. Em certos casos, pacientes se queixam de uma “pressão” ou “plenitude”, com dor leve ou forte, que se intensifica à medida que o indivíduo cutuca o local.

3 – Verifique se há corrimento no ouvido (também conhecido como otorreia). Em grande parte dos casos, o corrimento é grosso e de coloração clara, branca ou amarela, com presença de sangue e de odor desagradável. Não confunda essa situação com o acúmulo de cera, que é normal. Pegue um cotonete e esfregue-o no ouvido. Provavelmente, um pouco de cera vai ser coletada, mas se a quantidade ou cor aparentarem ser anormais, pode ser um sinal de infecção fúngica no ouvido

4 – Identifique se há perda de audição. As infecções fúngicas no ouvido podem dificultar a compreensão de certos sons ou falas, bem como a capacidade de entender palavras e consoantes. Em casos raros, as pessoas identificam tal problema apenas pela mudança de comportamento que apresentam. Devido à dificuldade de ouvir e entender o que as pessoas estão falando, o indivíduo se sente frustrado e acaba distanciando-se de interações sociais

Adotando tratamentos caseiros

1 – Utilize peróxido de hidrogênio a 3%. (Água oxigenada 10 volumes) Pingue duas ou três gotas no ouvido infeccionado através de um conta-gotas, e deixe que elas sejam absorvidas pelo canal do ouvido por cinco a dez minutos, inclinando a cabeça para o lado oposto. Isso permitirá que partículas e sujeiras sejam amolecidas, além de atingir as colônias de fungos presentes no local.

2 – Use um secador de cabelo. Ligue-o na menor intensidade possível e coloque a ponta a cerca de 25 cm de distância do ouvido infeccionado. Esse método seca o canal, retirando a umidade que incentiva o crescimento dos fungos.

3 – Aplique uma compressa quente ao ouvido. Pegue uma toalha limpa e mergulhe-a em água quente (sem deixá-la pelando). Posicione-a sobre o ouvido dolorido e espere até que a toalha esfrie. A dor será aliviada sem a necessidade de tomar anti-inflamatórios, além de aumentar a circulação sanguínea no local infectado, resultando em uma recuperação mais rápida.

4 – Use álcool isopropílico e vinagre de maçã. Misture ambos em quantidades iguais e, através de um conta-gotas, pingue algumas gotas no ouvido. Deixe-as no canal por cerca de dez minutos e incline a cabeça para o lado oposto, retirando-as. Essa solução pode ser utilizada a cada quatro horas por até duas semanas.

  • O álcool isopropílico é um agente secante, que combate o excesso de umidade no canal do ouvido com fungos, além de desinfetar a pele. A acidez do vinagre desacelera o crescimento dos fungos, já que tanto o candida albicanis quanto o aspergillus se reproduzem em ambientes “básicos”.
  • Essa mistura desinfeta e seca o ouvido, diminuindo a duração da infecção.

5 – Consuma alimentos ricos em vitamina C. A vitamina C é necessária para o crescimento e reparo de tecidos danificados por infecções fúngicas no ouvido devido ao colágeno, uma proteína fundamental no revestimento de tecidos, como a pele, os vasos sanguíneos e cartilagens. Os médicos recomendam a ingestão de suplementos de 500 a 1.000 mg de vitamina C por dia, sempre acompanhados de alimentos.

Algumas das melhores fontes de vitamina são: frutas cítricas (laranjas e limões), frutos (mirtilos, morangos, framboesas e acerolas), abacaxi, melancia, papaia, brócolis, espinafre, repolho, couve-flor e couve de Bruxelas.

6 – Use óleo de alho. Pegue uma cápsula de óleo de alho, perfure-a e despeje sobre o ouvido infectado. Deixe-o por cerca de dez minutos e incline a cabeça para retirar o conteúdo. Esse método pode ser utilizado todos os dias por até duas semanas. Estudos comprovaram o efeito antifúngico do alho no aspergillus (um dos principais responsáveis por contaminações fúngicas em ouvidos).

Além disso, também é sabido que o óleo de alho tem efeito similar ou até melhor do que os remédios receitados para tratamento de infecções fúngicas no ouvido.

7 – Utilize azeite para limpar o canal. Secreções amareladas ou esbranquiçadas escorrem do ouvido durante infecções por fungos, além da superprodução de cera. Use o azeite – que amolece a cera – na limpeza, evitando o bloqueio da tuba auditiva.(O azeite de oliva a ser usado tem quer ser extra virgem, acidez 0,5%)

  • Através de um conta-gotas, pingue três gotas no ouvido contaminado. Deixe o produto no canal por cinco a dez minutos e incline a cabeça para o lado oposto, retirando o azeite. A cera, junto com outras substâncias sólidas, ficará mais mole, facilitando a remoção (de forma parecida com o peróxido de hidrogênio). O azeite também contém propriedades anti-inflamatórias, que diminuem a dor associada com as infecções fúngicas no ouvido devido aos altos níveis de polifenóis presentes no óleo.
  • Saiba quando marcar uma consulta no médico. Sempre que uma infecção de ouvido surgir, é importante ir a um otorrinolaringologista para que ele diagnostique e descubra o melhor método de tratamento. Caso ocorram dores fortes, perda parcial da audição ou qualquer outro sintoma incomum, procure tratamento o mais rápido possível.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s