O ÓLEO MAIS SAUDÁVEL PARA COZINHAR.

oleo-extra-virgem

Toda vez que você cozinha, você corre o risco de causar danos induzidos pelo calor. Os óleos com os quais você escolhe cozinhar devem ser estáveis o suficiente para resistir às alterações químicas quando aquecidos em altas temperaturas, ou então você corre o risco de causar danos à sua saúde.

Uma das maneiras na qual os óleos podem causar danos é transformando o colesterol bom em colesterol ruim — por meio da oxidação.

Quando você cozinha com óleos vegetais poli-insaturados (como os óleos de canola, milho e soja), o colesterol oxidado entra no seu sistema. Quando o óleo é aquecido e misturado com o oxigênio, ele fica rançoso. O óleo rançoso é oxidado e NÃO deve ser consumido, já que causa diretamente doenças vasculares.

As gorduras trans aparecem quando esses óleos são hidrogenados, o que aumenta o risco de doenças crônicas como câncer de mama e doenças cardíacas. Mas os problemas não acabam aqui.

A maioria desses óleos vegetais (pelo menos nos Estados Unidos) é produzida com culturas geneticamente modificadas e, para piorar, são altamente processados. Portanto, não só as gorduras poli-insaturadas são oxidadas, como esses óleos também contêm outras toxinas, como glifosato e a toxina Bt encontrados no milho e soja geneticamente modificados.

O glifosato é o ingrediente ativo do herbicida de amplo espectro Roundup, utilizado em grandes quantidades em todas essas safras. Portanto, existem inúmeras razões para evitar os óleos vegetais, mas o fato de que são oxidados é claramente a prioridade número um.

Outro fator importante é que a maioria dos óleos vegetais contém alto teor de gorduras ômega 6 e é a relação de ômega 3 para ômega 6 que exerce um papel crucial na determinação de diversas doenças. Se você está consumindo grandes quantidades de óleos vegetais, você irá alterar gravemente essa relação vital e aumentar o risco de várias doenças degenerativas.

O único óleo de cozinha que aguenta o calor é o óleo de coco

De todos os óleos disponíveis, o óleo de coco é a melhor opção para cozinhar, pois é praticamente uma gordura totalmente saturada, o que significa que é bem menos suscetível ao dano do aquecimento. E o óleo de coco é uma das gorduras mais singulares e benéficas para o seu corpo.

Embora a grande mídia diga que o azeite de oliva é o “óleo mais saudável”, este título não se aplica para cozinhar. O azeite de oliva é primeiramente uma gordura monoinsaturada, o que significa que ele tem uma ligação dupla em sua estrutura de ácido graxo.

Apesar de a gordura monoinsaturada ser naturalmente mais estável que a gordura poli-insaturada, o excesso de ácido oleico no azeite de oliva cria um desequilíbrio que tem estado associado a maior risco de câncer de mama e doenças cardíacas.

No entanto, o azeite de oliva é uma gordura inteligente que deve ser incluída na sua alimentação de forma não aquecida, como tempero para salada, por exemplo. Se o azeite de oliva for aquecido entre 93 e 121 °C, você corre o risco de estar criando óleo oxidado que pode causar mais danos do que benefícios ao seu corpo. Uma maneira de evitar que o azeite de oliva fique rançoso é adicionar uma gota de astaxantina, informa o especialista Rudi Moerck.

O óleo de coco contém a gordura mais saturada de todos os óleos comestíveis — mas não deixe o termo “gordura saturada” assustar você. As gorduras saturadas não são a causa das doenças cardíacas, apesar do que você já ouviu. Sempre que precisar de um óleo para cozinhar, o óleo de coco de boa qualidade pode ser usado no lugar de qualquer outro tipo de óleo, em qualquer tipo de receita.

Apenas tenha em mente que o óleo de coco pode apresentar grande diferença em termos de variedade de cocos utilizados e tipo de processamento; esses fatores terão forte impacto sobre os benefícios do óleo à saúde. A maioria dos óleos de coco é refinada, branqueada e desodorizada (RBD) e contém produtos químicos usados no processamento.

Certifique-se de que o óleo de coco tenha certificação orgânica, o que significa que ele não contém ingredientes geneticamente modificados e que não foi branqueado, desodorizado, refinado ou hidrogenado.

oleo-de-coco

fonte:http://media.mercola.com/assets/html/mercola/citation.htm

Mais informações entre em contato.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s